ESTRATÉGIA DA SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LEIRA EM TEMPOS DE COVID-19

A Misericórdia de Leiria implementou e mantém em atualização diária um conjunto de planos de contingência, no contexto de pandemia Covid-19, que abrangem todas as valências: Hospital Dom Manuel de Aguiar (HDMA), Lar Nossa Senhora da Encarnação (LNSE), Residencial XXI e Unidade de Cuidados Continuados e Integrados (UCCI), Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), creche e serviços administrativos centrais na Casa Sanches.

Os planos entraram em vigor a 10 de março, adaptados a cada valência, e a evolução da pandemia, bem como o acesso a informação científica e credível, obriga a uma atualização constante das diretrizes gerais e específicas para os serviços da Misericórdia de Leiria.

No dia 23 de março foram criadas duas equipas no LNSE. “Uma equipa multidisciplinar entrou num período de quarentena profilática de sete dias; ficando a residir no interior, numa “bolha” fechada a contactos exteriores, com o objetivo de reduzir o risco de importação do vírus. Outra manteve-se em quarentena profilática no domicílio até substituir a primeira.

O Hospital D. Manuel de Aguiar deixou de fazer cirurgias e consultas de especialidade presenciais (passaram a telemedicina) e a Medicina Física e de Reabilitação foi suspensa, bem como os exames complementares de diagnóstico. O LNSE, Residencial XXI e a UCCI encontram-se fechados a visitas desde o dia 11 de março. A creche foi encerrada, de acordo com as instruções da Direção-Geral de Saúde. Os serviços administrativos centrais estão fechados, mantendo-se o atendimento por telefone e teletrabalho. A Academia do Movimento Ativo (AMA) também está encerrada.

No dia 23 de março foram criadas duas equipas no LNSE. “Uma equipa multidisciplinar entrou num período de quarentena profilática de sete dias; ficando a residir no interior, numa “bolha” fechada a contactos exteriores, com o objetivo de reduzir o risco de importação do vírus. Outra manteve-se em quarentena profilática no domicílio até substituir a primeira.

A medida foi também adotada na Residencial XXI e na UCCI e posta em prática dia 24 de março. Na mudança das equipas, os colaboradores que entram ao serviço nas valências são submetidos ao teste para detetar a Covid-19, para reduzir ao mínimo o risco de entrada de vírus.

A comunicação das famílias com os utentes é feita através de telefone ou videoconferência. Esta solução de videoconferência já existia nos lares da Misericórdia de Leiria há muito tempo, passando agora a ser utilizada com mais intensidade. Os familiares estão informados e colaboram de forma extraordinária.

A Misericórdia de Leiria mantém em funcionamento o Serviço de Apoio Domiciliário (SAD), com as medidas profiláticas adequadas e criou um novo serviço de fornecimento de refeições a pessoas mais vulneráveis, sinalizadas pelo Município de Leiria, fazendo a entrega de duas refeições diárias em suas casas. Um novo serviço de apoio a compras, ou outro tipo de necessidades, desenvolvido por voluntários, evita que as pessoas tenham de sair de casa, transmitindo a mensagem: “Fique em casa, nós vamos por si”.

O plano de contingência do Serviço de Apoio Domiciliário obedece a rigorosas regras de proteção e desinfeção, usando os colaboradores o adequado equipamento de proteção individual. As funcionárias estão em constante processo de formação e têm-se adaptado às alterações e monitorizações que fazemos diariamente dos planos de contingência.

Estou convencido que medidas mais exigentes serão tomadas a todos os níveis, especialmente nos lares. Terão que ser adotadas soluções semelhantes às que estamos a aplicar para fechar as possibilidades de entrada da Covid-19 na instituição. Será necessário ainda facilitar o acesso à realização de testes a utentes e funcionários, mas, acima de tudo, a principal arma é a formação (técnicas de etiqueta respiratória, boas práticas da lavagem de mãos e o uso correto do equipamento de proteção individual).

Temos acompanhado diariamente todas as equipas que estão em quarentena geral profilática, com vários briefings durante o dia e à noite, por teleconferência. Temos disponibilizado todos os meios necessários ao conforto e proteção dos funcionários e utentes. No futuro vamos continuar com esta postura de proximidade, envolvendo todas as equipas na tomada de decisão conjunta e monitorização dos planos de contingência. Esperam-nos meses de muitos desafios e o que temos feito é preparar todos os funcionários para os piores cenários, através da formação e debate constante dos planos de contingência.

No futuro, as orgânicas internas das diferentes valências sociais em confinamento vão sair reforçadas e melhoradas. A utilização de Equipamentos de Proteção Individual será uma nova realidade. No Hospital D. Manuel de Aguiar, já estamos a executar um conjunto de medidas, assegurando a segurança de todas as pessoas que se dirijam ao HDMA, assim como a segurança de todo o corpo clínico e administrativo.

A Misericórdia de Leiria tem 189 colaboradores e uma centena de prestadores de serviços, responsáveis por cuidar de 195 utentes das diferentes valências. O meu muito apreço e reconhecimento aos colaboradores que de forma voluntária se disponibilizaram e aderiram de forma entusiasta a estas medidas muito difíceis, mas conscientes do espírito de servir e bem fazer aos outros, colocando esta missão em primeiro lugar.

Trata-se de uma população de extrema vulnerabilidade. Trata-se de uma pandemia mundial. Trata-se de um Estado de Emergência. Portanto exige medias excecionais e nunca antes tomadas. Trata-se de salvar vidas humanas. A prioridade da Santa Casa da Misericórdia de Leiria é proteger a 100% a saúde e a vida dos seus utentes.

Entrevista eng. Carlos Poço, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Leiria

Rua Trindade Coelho nº8
Apartado 1109
2401-801 Leiria

Newsletter

Mantenha-se a par das novidades.

* Aceito a Política de Proteção de dados.