Provedor da Misericórdia garante “mais dinâmica” do Projecto Solidário

Gala Criação do Vale Saúde e a Arte Solidária são duas das iniciativas mais emblemáticas para este ano da Santa Casa da
Misericórdia de Leiria, no âmbito do Projecto Solidário. Provedor garante que a vertente social “vai ter mais dinâmica”

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Leiria (SCML), Carlos Poço, garantiu, na sexta-feira, durante a III Gala da Misericórdia, que o Projecto Solidário para este ano “terá ainda mais dinâmica”, com a criação do vale saúde e a arte solidária, direccionados para pessoas desfavorecidas.

Com estes dois projectos, o provedor afirmou que o objectivo da instituição passa por “mobilizar ainda mais os leirienses, através das iniciativas” a apresentar e a promover ao longo do ano, com a “participação”e o envolvimento da sociedade”.

“É numa visão realista do que mais é necessário que surge o Vale Saúde na terceira edição do Projecto Solidário. Não numa visão assistêncialista, mas numa visão efectiva de execução das Obras de Misericórdia espirituais e corporais”, revelou Carlos Poço, adiantando que o Vale Saúde “reúne um conjunto alargado” de clínicos e de técnicos da área social, numa lógica “de inovar a ligação de trabalho entre áreas disciplinares e entre diferentes serviços, com o objectivo de ajudar quem mais precisa.

O utente candidato ao Vale Saúde tem de apresentar a sua necessidade através do preenchimento de um formulário, que permitirá fazer uma sinalização através da intervenção dos serviços sociais da Misericórdia com critérios de avaliação de necessidades e fragilidades. Após essa avaliação e sinalização, estas duas premissas são encaminhadas para o corpo clínico do Hospital D. Manuel de Aguiar, que terá a responsabilidade de efectuar a triagem das fragilidades sinalizadas, através de uma consulta inicial. O utente beneficiário será depois encaminhado para o Departamento de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica, ou para uma Consulta de Especialidade. Após esta etapa, o circuito de intervenção fica concluído, ou, se necessário, será novamente avaliado através de uma nova consulta, até que as fragilidades do utente sejam colmatadas.

“Este projecto vai beneficiar os que tiverem esta necessidade e se enquadrarem nos requisitos sociais, durante todo o ano de 2020”, sustentou o provedor da SCML.

O outro projecto revelado por Carlos Poço para este ano é a Arte Solidária, que será constituído por um conjunto de parceiros mecenas e artistas da cidade, que, em conjunto com SCML, vão criar sacos em materiais reutilizáveis e personalizados para serem utilizados na cidade. “É também preocupação da Misericórdia os recursos do futuro, preparando as novas gerações, para contextos sustentáveis, não só no que diz respeito à responsabilidade ambiental, mas também no que respeita à partilha e divulgação da cultura e da historia da cidade do Liz e do Lena”, explicou o provedor, no discurso da III Gala realizada na sexta-feira à noite, na Igreja da Misericórdia – Centro de Dialogo Intercultural.

Para além daqueles dois projectos para este ano, o provedor garantiu ainda que a instituição “vai continuar a apostar” nas várias valências da instituição, entre as quais o Serviço Integrado de Proximidade (SIP), designado vulgarmente por apoio domiciliário, e noutros projectos destinados aos mais carenciados”.

“O Estado sempre desprezou e continua a não dar respostas suficientes ao sector social. E o País enfrenta enormes desafios nesta área. Queremos inovar e encontrar soluções com os parceiros certos, sendo este o caminho para a solidariedade inovadora e para uma sociedade mais fraterna”, aludiu Carlos Poço, que vai continuar a contar com os apoio de dois parceiros de peso para desenvolver o projecto solidário: o Politécnico de Leiria e a Câmara Municipal de Leiria.

Numa espécie de balanço do primeiro mandato – o segundo arrancou no passado dia 13 de Janeiro – o provedor afirmou que os objectivos definidos pela Mesa Administrativa foram atingidos e que passaram por “tornar a Misericórdia de Leiria sustentável”, colocar a “área da saúde a libertar meios financeiros e não consumir os recursos área social”, abrir a instituição à sociedade e “valorizar” as actividades e gerir melhor para apoiar mais”

Parceiros disponíveis para continuar a apoiar

O presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, destacou a “excelente colaboração” que tem existido entre a instituição de ensino e a SCML, numa parceria que “é para manter”, tendo em conta a “preocupação” actual da economia social.

“O Politécnico e a Misericórdia têm trabalhado de uma forma transversal em vários projectos e essa colaboração é para continuar numa dimensão que é a economia social. E, nesta vertente, a Misericórdia tem tido um papel fundamental”, afirmou o presidente do Politécnico, no discurso da III Gala da Misericórdia de Leiria.

Uma linha de raciocínio partilhada também pela vereadora da Acção Social da Câmara de Leiria, Ana Valentim, ao classificar a Misericórdia de Leiria como uma instituição “moderna, virada para o futuro e sem perder o foco na vertente social”. “É uma instituição aberta à comunidade, que faz mui to bem a avaliação social, assente num modelo de corporação com as várias entidades, incluindo a Câmara de Leiria, e o Estado, e numa visão de economia social”, frisou Ana Valentim.

No âmbito do Projecto Solidário para este ano, a SCML tem agendadas várias iniciativas todos os meses até Dezembro. A primeira é a participação na Aldeia da Saúde, agendada para os dias 21, 22 e 23 de Março, e a segunda, no dia 31 do mesmo mês, com a realização das III Jornadas Gerontológicas do Hospital D. Manuel de Aguiar.

Nos dias 4 e 5 de Abril, decorre a IV Aldeia da Alimentação Saudável, uma iniciativa em parceria com o jornal Dário de Leiria.

Texto. Mário Pinto, Fotos. Luís Filipe Coito

Noticia Diário de Leiria, 24 de fevereiro de 2020 |

Rua Trindade Coelho nº8
Apartado 1109
2401-801 Leiria

Newsletter

Mantenha-se a par das novidades.

* Aceito a Política de Proteção de dados.