ARTIGO DE OPINIÃO DA DRA. ANDREIA ANTUNES, ESPECIALISTA EM MEDICINA REGENERATIVA NO HDMA.

Quais são os Objetivos da Medicina Regenerativa?

Eu diria que é a medicina deste Milénio e sem dúvida a medicina do Futuro! Inclui todos os aspetos relacionados com a melhoria da imagem corporal, regeneração celular e prevenção da doença com manutenção de um organismo saudável recorrendo a suplementação hormonal, nutri genómica, micro imunoterapia, aconselhamentos de atividade física, enxertos celulares autólogos e bio regulação, com o fim de desacelerar o processo degenerativo associado ao envelhecimento e incrementar as potencialidades de regeneração que existem potencialmente no ser humano. Este potencial regenerativo que possui cada célula do nosso organismo sempre me fascinou, quem nunca fez um raspão no joelho que o deixou sem pele e ao fim de alguns dias tem novamente pele íntegra… Ou quem nunca teve uma gripe ou gastroenterite e se sentiu de repente abalado pela infeção e na semana seguinte está de novo apto! Esta capacidade inata de regeneração foi para mim a inspiração da criação da meu lema e marca: Saúde Plena e que agora venho partilhar com o Hospital da Misericórdia de Leiria. 

Conte-nos um pouco do seu percurso académico e profissional?

Licenciei-me em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da UNL e sou especialista e Ginecologia e Obstetrícia pelos Hospitais da Universidade de Coimbra.

 A Medicina Regenerativa (MR) não é em Portugal considerada uma especialidade e dificilmente o será. É uma área científica recente, mas países como Espanha, Itália, França, Reino Unido e EUA começaram a organizar formação especifica nos últimos 30 anos, sendo uma área transversal a várias especialidades médicas. Cheguei a esta área médica, por paixão, fiz o meu percurso formativo sobretudo em Espanha e Inglaterra. É uma área muito diretamente ligada na vertente estética à dermatologia e à cirurgia plástica, mas com uma abordagem médica muito mais abrangente, extensiva á medicina preventiva e regenerativa. Comecei por me interessar pela cirurgia de reconstrução mamária de mínima invasão, com técnicas de lipoescultura e aplicação de células autólogas. Tive o privilégio de ser uma das 10 alunas (foto 2) de uma Master Class internacional com o Professor Yves Illouz, um dos nomes incontornáveis da lipoescultura, técnica com enorme potencial terapêutico a nível da MR (foto 2). Concluí o mestrado em Senologia na Universidade de Barcelona e pós-graduação em reconstrução mamária na Universidade da Corunha e no British College of Surgeons. A curiosidade sobre medicina regenerativa conduziu-me ao mestrado em Medicina estética e anti envelhecimento da Universidade Complutense de Madrid. e ao de Medicina Regenerativa pela Universidade de Valencia. 

Quais os serviços e tratamentos disponibilizados?

Uma consulta de Medicina Regenerativa começa como qualquer outra pela elaboração uma história clínica detalhada, avaliação por exames complementares, avaliação de peso e atividade física e avaliação estética das questões que mais perturbam a autoimagem do utente. A elaboração do plano de intervenção é realizada horizontalmente explicando o médico benefícios e riscos das alternativas terapêuticas e esquema personalizado de intervenção. A nível estético facial os tratamentos passam pelo rejuvenescimento, com melhoria das características da pele através de lipoescultura para preenchimento de sulcos e rugas e regeneração com plasma enriquecido em plaquetas ou outras células mãe autólogas. A nível corporal os tratamentos incluem a nutri genómica para regulação de peso e melhoria da diabetes, HTA, apneia do sono e alterações osteoarticulares, a micro imunoterapia para regular alterações que enfraquecem o nosso sistema de defesas como as infeções e o cancro. As correções de volume e forma mamária com aumento, elevação ou redução da mama. Os tratamentos de lipoescultura para correção de defeitos de distribuição adiposa, e ainda a suplementação hormonal, vitamínica e bio reguladora para potenciar a vitalidade. 

Nota um aumento da sensibilização dos portugueses em relação a esta área médica?

É uma área entusiasmante, muito divulgada em países como Espanha, França, Itália, Reino Unido, EUA, Brasil, mesmo países com menor nível de desenvolvimento como América do Sul, Oriente e Ásia nutrem desde há 2 décadas um interesse contagiante nesta área. Considero, contudo, que no nosso País é um campo da medicina ainda profundamente desconhecido e muito exposto a intrusão, com pessoas sem formação em medicina a exercer atos para os quais não estão habilitados. Apenas o médico pode invadir a mais de 2 mm da pele e prescrever fármacos. Contudo a normativa Europeia está prestes a ser publicada e já está disponível o documento que regula os tratamentos estéticos do foro médico não cirúrgicos e que será oficialmente publicado em dezembro deste ano; restringe a prática da medicina estética apenas a médicos formados, protegendo assim a população de danos. Muitas vezes os serviços vêm camuflados com ofertas de primeira consulta.

 Na área da saúde é indispensável uma relação de proximidade com os utentes. Que cuidados têm quando os recebem?

Previamente ao tratamento são discutidos alternativas terapêuticas, resultados e complicações que podem ocorrer, o utente assina um documento de consentimento informado e qualquer dúvida é esclarecida previamente. Os cuidados pós-procedimento são também discutidos com o utente.

Todos os procedimentos são da exclusiva responsabilidade médica, desde a anestesia, desinfeção e tratamento. Os utentes ficam com o contacto do médico para esclarecimento de duvidas que possam ocorrer.

Rua Trindade Coelho nº8
Apartado 1109
2401-801 Leiria

Newsletter

Mantenha-se a par das novidades.

* Aceito a Política de Proteção de dados.