ARTIGO DE OPINIÃO DO DR. ULRICH CASSIANO - ESPECIALISTA EM OSTEOPATIA

O que é a Osteopatia?

A Osteopatia é uma ciência terapêutica com metodologia e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático). O seu principal objetivo é restabelecer a mobilidade perdida e dar o equilíbrio que o corpo necessita, mantendo a elasticidade do tecido conetivo em todos os seus sistemas, sistemas estes alterados pelo sedentarismo, má postura, esforços intensos, estilo de vida, stress, etc.

O termo Osteopatia, etimologicamente tem origem no Grego Osteon (osso) e Phatos (doença). A Osteopatia é então um termo correto que significa a influência da doença, suas causas e seus tratamentos manuais, e, não como se pensa, uma patologia do osso.

A Osteopatia é uma disciplina que nos últimos anos está começando a difundir-se cada vez mais devido principalmente aos bons resultados obtidos em numerosos problemas de saúde. É uma forma de tratamento manual muito pouco agressiva e amplamente efetiva.

Como é feita a avaliação e o tratamento?

O paciente é avaliado de forma global onde a causa da lesão é a principal preocupação e não as suas consequências. A origem da lesão primária é fundamental, pois sabemos que as lesões geram adaptações e compensações que se não forem travadas despertam dor e desconforto. Quanto mais cedo se atuar no tratamento da disfunção osteopática melhor será o seu prognóstico.

O tratamento é feito de forma individualizada e cada paciente será atendido conforme sua necessidade. Para o tratamento são utilizadas diversas técnicas criteriosamente selecionadas para cada pessoa. A meta é devolver a mobilidade das estruturas o que irá possibilitar deste modo o reequilíbrio do corpo, a diminuição da dor e o melhoramento da postura proporcionando um bem-estar global. Em muitos casos é possível obter o alívio imediato do quadro doloroso.

 O Osteopata utiliza as técnicas manuais específicas adequadas a cada tipo de tecido, a cada tipo de problema, a cada tipo de paciente bem como à idade dos mesmos.

Principais indicações

A Osteopatia possui inúmeros benefícios e já tem a sua própria identidade e lugar estabelecido na área da saúde, sendo já reconhecida e incentivada pela Organização Mundial de Saúde.

  • Dor nas costas (crónicas ou agudas): Lombalgias, dorsalgias, cervicalgias, torcicolos, desequilíbrios da bacia, ciáticas, hérnias discais;
  • Problemas de mastigação, disfunções viscerais: problemas digestivos, respiratórios e circulatórios, obstipação, dismenorreia (dor na menstruação);
  • Dores no ombro, cotovelo, punho, joelho e pé, cervicobraquialgias, tendinopatias, entorses, pubalgias, lesões por esforço;
  • Dores de cabeça, sinusite, tensão muscular, lesões desportivas, stress, tonturas, vertigens, insónias;
  • Problemas do foro pediátrico como transtornos do sono, nervosismo, otites, bloqueio do canal lacrimal, refluxo, cólicas, gases, torcicolo, plagiocefalia ou cabeça plana.

As indicações não se restringem à lista, já que a osteopatia é, em si, uma maneira de lidar com a dor especialmente no aspeto preventivo. 

Osteopatia na gravidez.

Na gravidez ocorrem muitas alterações posturais, hormonais e um aumento de peso muito rápido, o que pode levar a vários desconfortos e muitas vezes à dor. A osteopatia pode aliviar em muito todos estes desconfortos usando somente como ferramenta de trabalho as mãos, sem colocar em risco a grávida e o seu bebé.

Com a osteopatia conseguimos de uma maneira muito suave e leve que o corpo se adapte a todas as alterações físicas que acontecem durante a gravidez, preparando a grávida para um parto mais fácil e rápido.

As consultas de osteopatia podem iniciar-se a partir das 12 semanas e podem ir ate ao final da gravidez.

Como atua a osteopatia

A osteopatia assenta no seguinte princípio: se uma parte do corpo se encontra fragilizada ou limitada, o resto do organismo tem de se adaptar para compensar essa fragilidade, reagindo com inflamação, dor ou rigidez, por exemplo. Quando existem muitos “desequilíbrios”, mais dificuldade terá organismo em suportar a dor.

A reação ao tratamento depende do paciente e do problema em causa. Segundo os princípios da osteopatia, o corpo precisa de um tempo para se adaptar às mudanças proporcionadas por cada sessão. Poderá ser necessário realizar uma sessão preventiva de 2 em 2 meses (ou de 3 em 3 meses, dependendo dos casos). Os benefícios da osteopatia são potenciados quando associados a uma dieta equilibrada e à prática de exercício físico

O cuidado da coluna vertebral é fundamental para a boa manutenção da saúde, já que apesar de ser o pilar do nosso corpo, é o enlace de transmissão de informação entre o cérebro e os nervos raquídeos que controlam as funções dos órgãos, tecidos e células do nosso corpo. Até cerca de 80% dos problemas cervicais e lombares poderiam ser tratados com esta terapia.

Os tratamentos não são uma panaceia nem uma solução milagrosa, mas sim um remédio eficaz para muitas dores que anteriormente não tinham solução.

 O ideal é a pessoa fazer uso da osteopatia quando começam as primeiras dores e não deixar passar, pois o tempo não cura, antes pelo contrário agrava as situações e aquilo que podia ser evitado passa a ser um problema muitas das vezes incapacitante e que não nos permite tirar o rendimento desejado da vida nem apreciá-la na sua totalidade.

 

Rua Trindade Coelho nº8
Apartado 1109
2401-801 Leiria

Newsletter

Mantenha-se a par das novidades.

* Aceito a Política de Proteção de dados.